ERAC: Obrigação do consumidor livre

9 de agosto de 2017 - 4 minutes read

geração transmissão e distribuição de energia elétrica

Os sistemas de transmissão de energia elétrica possuem diversos mecanismos especiais para a proteção contra blackouts de grandes proporções. Isso é necessário porque há a possibilidade de falhas nos sistemas de transmissão, quando ocorre a saída de um grande bloco de carga ou a saída de uma grande fonte de geração de energia elétrica, gerando desequilíbrio e, consequentemente, diminuição na frequência da rede.

Tal desequilíbrio pode causar o colapso do sistema de distribuição de elétrica, ocorrendo paralisações em diversas regiões, trazendo um grande transtorno para a sociedade.

O Esquema de Rejeição e Alívio de Cargas – ERAC, atua na rejeição de blocos de cargas de grande porte, de forma a manter a operação dos demais processos para reestabelecer o balanço de potência entre geração e consumo de energia, contribuindo para a manutenção da estabilidade do Sistema Nacional Interligado (SIN).

O ERAC é um dos mais importantes Sistemas Especiais de Proteção (SEP). O Esquema de Rejeição e Alívio de Cargas é coordenado pelo ONS, que determina às concessionárias de energia elétrica e indústrias, cortes seletivos, em estágio, com o objetivo de preservar o fornecimento do sistema.

São vantagens da utilização do sistema ERAC:

  • garantir desempenho dinâmico adequado do SIN quando de perturbações severas;
  • tornar a rejeição de cargas mais seletiva e menos abrangente;
  • garantir o balanço de potência entre carga e geração em situações de distúrbios severos;
  • manter a frequência dentro dos limites estabelecidos;
  • facilitar o reestabelecimento do sistema após a atuação do sistema de rejeição de cargas.

Algumas distribuidoras já se manifestaram com relação a adoção de medidas operativas para o gerenciamento de cargas e SEP, incluindo o ERAC. Os clientes livres serão responsáveis pela implantação do ERAC próprio.

A SENIOR implanta o ERAC, da seguinte maneira:

  • Verificação se os relés existentes possuem as funções necessárias para desempenhar a rejeição definida pelo ONS;
  • Instalação de novos relés de proteção, caso necessário;
  • Definição de formas de rejeição de cargas em função das características do processo e implementação de forma de desligamento por estágios;
  • Elaboração de estudo e fornecimento de evidências junto ao ONS ou distribuidora;
  • Definição da sistemática do envio de dados de desempenho deste sistema;
  • Desenvolvimento de projetos específicos conforme as necessidades do cliente para realização de descarte de cargas interno as instalações;
  • Integração de reles de proteção em rede de comunicação IEC61850 para atuar no descarte de cargas.

A SENIOR Engenharia e Serviços se coloca à disposição para esclarecimentos e orientações acerca do tema.

Tags: